Restaurar é, na minha opinião,fazer com que uma peça qualquer ,seja um móvel, uma antiguidade ,ou um objeto de decoração readquira sua aparência original .Porém esta "aparência original" não significa que a peça em questão vá ficar com aspecto de nova,mas de inteira e bem conservada.As marcas que o tempo e o uso deixaram na peça devem ser preservadas para mostrar exatamente sua história dentro do contexto em que foi usada.
Mudar detalhes estéticos, deixa de ser restauração e tira a identidade da peça .

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Arco balestra



Restaurei recentemente este arco balestra ,ou bêsta ,como também é conhecido .

Não tirei fotos dele por inteiro ,apenas detalhes ,pois a madeira estava em boas condições ,mas a parte de metal estava bastante oxidada.

Tive de desmontar tudo para poder limpar e polir o metal .

Detalhe do gatilho ,que estava preto de tanta oxidação .

Aqui a peça pronta .A madeira foi envernizada , os metais polidos e também envernizados para evitar nova oxidação . Só falta a corda para que possa voltar a atirar .

domingo, 27 de março de 2016

Dicas para restaurar uma máquina de costura .

Muitos clientes que residem longe de São Paulo ,solicitam orientação para restaurar suas máquinas de costura ,por não encontrarem em suas cidades pessoas qualificadas para fazer o serviço. Resolvi então dar algumas dicas de como faço essa restauração . Se por acaso faltar alguma coisa me perdoem ,não estou escondendo informações . Apenas como todo ser humano eu falho , e falho muito mais do que desejaria.


Não é difícil restaurar uma máquina de costura . Se você tiver um pouquinho de habilidade com ferramentas e noções básicas de pintura ,poderá fazer isso com facilidade .
A primeira coisa a fazer é analisar as três partes da máquina ( corpo , gabinete e pés ) para ver o que será necessário fazer .
É preciso soltar o corpo da máquina do gabinete . Tem dois parafusos grandes na parte de traz do corpo para fazer isso .
Depois ,tem de soltar os pés do gabinete. Para isso , vire a máquina de cabeça para baixo ,e solte com uma chave de fenda grande os quatro parafusos que seguram essa peça .
ATENÇÃO : guarde os parafusos em separado ,marcando de onde eles saíram Eu normalmente desmonto e ponho cada grupo de parafusos num saquinho plástico com um pedaço de papel onde escrevo sua origem "pés", "corpo" , "tampa do gabinete " "bojo", etc.

O corpo : geralmente o corpo das máquinas antigas está com falhas na pintura , e partes dos decalques destruídas .Também ocorrem manchas amarronzadas em alguns lugares devido ao uso e à combinação do suor das mãos com o pó do tecido.
Se a máquina estiver travada é necessário aplicar um desengripante , para fazê-la funcionar novamente . Eu uso WD40 ,mas existem outros mais baratos que fazem a mesma função .
Retire as partes cromadas marcando sempre os parafusos .
A limpeza do corpo deve ser feita com uma esponja embebida em água e sabão . Solventes poderão atacar o verniz antigo e destruir os decalques .Passe a esponja com cuidado ,e se perceber que está havendo alteração dos decalques ,pare e passe um pano embebido em água e a seguir enxugue com um pano sêco .
Se for necessário dê alguns retoques na pintura ,para que possa ficar mais homogênea ,e a seguir aplique três demãos de verniz spray da Colorgin. Isso fará a máquina brilhar como nova .
As partes cromadas ( volantes , comandos e a placa que cobre o mecanismo da agulha ) podem estar com a cromação estragada .
Aí temos duas opções : ou manda cromar novamente, coisa que não recomendo ,pois fica muito brilhante e meio estranho , não combinando com o resto do corpo , ou lixa o metal até eliminar todo o cromo antigo e faz um polimento . Quando estiver bem polido é só aplicar três demãos de verniz em spray da Colorgin , para proteger o metal e evitar a oxidação .

Os pés : esta é a parte mais resistente das máquinas . Normalmente estão apenas enferrujados , sendo necessário desmontá-los ,lixá-los e aplicar duas demãos de esmalte sintético brilhante na cor original . Para desmontá-los é necessário aplicar desengripante ,que vai facilitar muito seu trabalho com a chave de fenda . Caso mesmo com desengripante não seja possível soltar esses parafusos , dê algumas pancadas suaves mas firmes com um martelo ,para que a ferrugem se quebre pela vibração originada por estas pancadas .
Depois de soltar todas as partes e marcar os parafusos ,retire a sujeira e a ferrugem com uma lixa , ou com uma escova de aço rotatória , que se usa com a furadeira. .
Limpe bem e aplique três demãos de esmalte sintético brilhante ( original ) ,aguardando 12 horas entre cada demão .
Monte novamente e separe.

O gabinete : essa é a parte mais difícil de restaurar ,pois geralmente está com algumas lâminas de madeira soltas , e alguns estragos mais pronunciados .
Também tem de ser desmontado .Primeiro tira-se a tampa que cobre a máquina quando fechada . Depois tira-se a tampa menor que apoia a máquina quando aberta .Isso se faz antes de retirar os pés , pois facilita na hora de virar a máquina para tirá-los .
Depois, com o gabinete solto tira-se o bojo ,aquela parte arredondada onde a máquina fica guardada , os gaveteiros,e a gavetinha central .
LEMBRE-SE SEMPRE DE MARCAR OS PARAFUSOS E GUARDAR SEPARADOS
Com tudo separado ,é hora de lixar todas as peças com lixa para madeira nº 60 para retirar o verniz antigo e eventuais manchas .
Se faltar pedaços das lâminas de madeira , é preciso fazer enxertos com outra lâmina ,se possível de madeira parecida . Se o dano na superfície for muito grande talvez seja melhor trocar a lâmina .Aí você tem de ir a uma casa especializada para comprar isto. Quem mora em São Paulo encontra lâminas facilmente na região do Gasômetro no bairro do Brás .
Depois de tudo lixado e reparado passe uma lixa nº 320 (seca) para deixar a superfície da madeira bem lisa .
A seguir envernize com o produto de sua preferência .Eu utilizo o verniz Poliulac da Sayerlack no padrão acetinado ,mas pode ser brilhante também . É uma questão de gosto .
Agora está tudo quase pronto .É hora de montar o gabinete novamente ,colocar os pés ,e colocar a máquina no gabinete .
Ainda falta um detalhe ; você tem de comprar uma nova correia de couro para fazer a máquina funcionar . Isso se encontra em lojas ou oficinas que consertam máquinas de costura .
Pronto . Viu como é fácil ?
Se ainda houver dúvidas entre em contato comigo através do e-mail para que eu possa fornecer informações suplementares.

domingo, 6 de março de 2016

Carranca diferenciada .


Esta carranca pertence a um cliente que possui uma grande coleção com mais de duzentas peças . É um grande admirador da arte das carrancas , tendo também peças exclusivas em seu acervo . Já restaurei algumas de suas peças mais antigas da maneira tradicional ,mas nesta peça ele quis mudar o conceito estético vigente

Estava com algumas rachaduras provocadas pelo tempo e pela umidade ,e suas orelhas tinham sido danificadas

Percebe-se aqui a falta de um pequeno pedaço na parte superior desta orelha

Foi necessária a aplicação de um bom pedaço de madeira , que depois foi trabalhado para fazer as curvas da orelha .

Quando comecei a pintura ,me foi solicitado que ao invés da tradicional em três cores ,fosse feita uma arte baseada no estilo de Romero Brito

Isso me permitiu fazer uma releitura da carranca , misturando um pouco de Romero Brito e Joan Miró .

O resultado agradou muito o cliente ,e a mim também .


Deu trabalho, pois não sei desenhar nem pintar ,mas deu pra "quebrar o galho"

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Balança de batateiro .

Esta antiga balança era utilizada normalmente nas feiras livres por vendedores de batatas e cebolas, pois facilitava devido ao formato de seu "prato " ,a colocação do conteúdo em um saco ou cesta .
Foi trazida por uma cliente que vai colocá-la como peça de decoração em um "food truck " que está montando ,especializado em profiteroles .


Estava bem gasta pelo tempo ,mas em perfeitas condições de uso . Essas peças foram feitas para durar muuuuuuito tempo. Foi totalmente desmontada , lixada e pintada em sua cor original .Foi aplicado um primer da Sherwin Williams para proteger o ferro antes da pintura . Utilizei na pintura ,tinta automotiva Duco, pois é mais resistente que esmalte sintético comum .

Os pesos foram limpos com escova de aço , e foram aplicadas duas demãos de verniz automotivo Lazzudur 7502 ,para proteger e impedir sua oxidação.

Depois de muito trabalho ela ficou assim .

Pronta para o trabalho no "food truck"

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Desejo aos meus leitores, amigos, e clientes,que sejam muito felizes no novo ano que começará daqui a pouco .
Que todos possam atingir seus objetivos e obter vitórias em todos os setores da vida . Um grande abraço .

sábado, 14 de novembro de 2015

Tingindo mogno.

Um leitor do blog ,pediu orientação para tingir uma mesa de mogno ,para que ficasse no tom de imbuia mel .
Resolvi então postar essa informação que pode ser útil a todos .


Se a madeira for mais clara e estiver apenas tingida de mogno ,você terá de lixar tudo e aplicar um tingidor na madeira ,na cor escolhida .
Porém se for mogno mesmo ,só poderá escurecer um pouco ,utilizando tingidor na cor imbuia. Não é possível clarear madeira escura para depois tingi-la da cor que quiser.
De qualquer modo, lixe toda a mesa com lixa para madeira nº 60 , que irá retirar todo o verniz antigo ,e possíveis manchas existentes .
A seguir use a lixa nº 100 ,que ira´melhorar a superfície, e finalizando ,use lixa nº 320 ,ou nº400 para deixar a superfície bem lisa . Essas duas últimas são lixas d'água ,mas devem ser passadas a seco .
Limpe bem a superfície após lixar para que o tingidor penetre com facilidade nas fibras da madeira .
Ha dois tipos de tingidores : a base de água ( Acquacolor , da Sayerlack ) e a base de água ráz (Veladura ). É melhor tingir a madeira ao invés do verniz . Os dois tingidores tem diversos tons de madeira .Vá a uma loja e fale com o atendente sobre o tom que pretende usar ,para que ele possa te vender o tom correto .
Como esses tingidores podem ser diluídos , você consegue chegar facilmente no tom que deseja simplesmente deixando-os mais fracos ,e aplicando duas ou tres demãos para chegar na cor certa. Se aplicar puro ,pode ficar escuro demais . Teste antes num pedaço da madeira da parte inferior da mesa para verificar o tom certo .Chegando no tom , aplique no resto da peça .
Após o tingimento , espere 12 horas para que o tingidor seque bem e aplique o verniz ,que pode ser acetinao ou brilhante . Não recomendo o uso de verniz fosco ,pois é mais frágil ,e sua proteção não é tão eficiente .
Aguarde também 12 horas entre cada demão para que o verniz fique bem seco .O idela é aplicar duas a três demãos.
Após a secagem completa da última demão,passe com suavidade uma lixa d'água nº 2.000 para eliminar eventuais resíduos ,e deixar a superfície bem lisa .Após essa ultima lixada ,passe um pano seco para tirar o pó ,e pronto .
Lembre-se que o verniz deve ser aplicado sempre diluído com 20% de água raz, para que deslize mais facil na hora de aplicar e seque mais rápido.
Você pode aplicar o verniz ,com boneca de pano ,pistola e compressor ,ou pincel e rolinho de espuma .
É isso . Bom trabalho.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Verniz ou seladora ? Uma nova versão .


Verniz ou seladora ,eis a questão .
Fiz em 07 de fevereiro de 2.010 um pequeno texto discorrendo sobre esse assunto .
Até hoje ,foi a postagem que mais rendeu comentários ,porque muitas pessoas têm dúvida sobre o uso destes produtos .Então resolvi escrever mais um pouco sobre isso.Mas lembrem-se , não sou o dono da verdade . O que escrevo neste blog é baseado na minha experiência pessoal ,e no que aprendi com outros restauradores e pintores de móveis .
Usei seladora por um tempo ,mas depois de verificar que não correspondia à minha expectativa, desisti do produto,e quando me perguntam sobre o mesmo ,digo para não usarem . Não que a seladora seja um mau produto,mas ela não satisfaz as minhas exigências profissionais , soltando da madeira em pouco tempo quando submetida a umidade ou calor . Isto não ocorre com o verniz ,porém muitos fabricantes de móveis usam a seladora no lugar do verniz ,por ser muito mais barata.
Na aplicação você pode diluí-la com até 100% de Thinner ,o que faz uma lata render o dobro ,isso ja dá uma exclente economia de escala para uma fábrica de móveis . A seladora pode ser útil ,exatamente para " selar " madeiras ,antes da aplicação do verniz ,o que permite uma redução no gasto deste produto .
Mas nunca deve substituir o verniz . Ela pode ser utilizada em móveis que não sofrerão ação do calor nem de umidade . Móveis de jardim por exemplo não podem ser selados com este produto ,pois o calor do Sol fará com que se despreenda da madeira em poucos meses , inutilizando um trabalho .Já para móveis de quarto ou de sala ,isso não é problema pois estão protegidos . Mas sempre a seladora deverá ser aplicada como base para o verniz , e não como produto principal .
Bem , e porque eu não uso seladora ? Simplesmente porque não gosto de correr riscos desnecessários . Quando restauro uma peça de madeira , quero que aquele acabamento que fiz, dure por longos anos ,e por isso aplico o verniz diretamente na madeira crua , pois ele "agarra" bem nas fibras, suportando calor do Sol ,ou de uma xícara de chá quente ,ou ainda um copo de água derramado . Além disso para limpar uma superfície envernizada , basta esfregar um pano úmido ,e depois um outro sêco .
Utilizo dois tipos de verniz nos meus trabalhos : o verniz " marítimo" como é conhecido o verniz comum ( que não tem nada de marítimo) ,e o verniz automotivo.
O verniz "marítimo" eu aplico sempre diluído com 20% de água ráz ,quando faço o serviço com "boneca " de pano ou pincel . E quando uso pistola diluo com 30% ou 35% de água ráz ,para que saia mais fácil pelo orifício da pistola .
Essa diluição é necessária ,pois se aplicarmos o verniz puro ,ele por ser muito denso dificultará o processo de aplicação ,e demorará mais para secar .
Normalmente aguardo em média doze horas entre cada aplicação ,para que o produto possa secar bem . Obviamente , uma boa aplicação depende do tratamento da madeira . A madeira deve ser lixada para a retirada de resíduos e impurezas , ficando no que se chama de "madeira crua " .A superfície deve ser bem limpa ,para eliminar o pó do lixamento ,permitindo assim que o verniz se fixe com mais facilidade .
O verniz comum ,por ter em sua composição produtos que formam o chamdo filtro solar , acaba amarelando algumas madeiras claras , o que desagrada algumas pessoas , que querem ver a madeira em sua cor plena , sem alteraçções de tom .
Nessas situações utilizo o verniz automotivo ,que é absolutamente transparente , não alterando tons da madeira . Existem vernizes automotivos prontos para uso e outros que necessitam de diluição e do uso de um catalisador para fazer a secagem ,mas ambos os tipos secam muito rápido. Duas horas após a primeira aplicação ,já se pode fazer a segunda .
Quando faço uma pátina provençal com tinta branca , na qual tenho de gastar as bordas dos móveis para parecerem bem usados , , a madeira lixada fica desprotegida , então aplico verniz automotivo na peça para proteger toda a pintura . Ha um porém nisso tudo . O verniz automotivo só é vendido na opção brilhante ,e para quem quer utilizá-lo mas sem o brilho , existe um produto chamado fosqueante ,que como o nome diz , fosqueia o verniz . Pode-se deixar o verniz acetinado ou até fosco mesmo , dependendo da quantidade de fosqueante misturado ao verniz . Normalmente com 20% de fosqueante se obtém um verniz acetinado muito bonito .
Existe também no mercado os vernizes à base de água .Minhas experiências com esse produto foram desastrosas ,e desisti de ser ecologicamente correto devido à impossibilidade de obter uma performance adequada . Acontece que o produto ,embora feito à base de água ,demora muito para secar,e às vezes não seca , se transformando numa meleca gelatinosa . Não sei porque isso ocorre, pois utilizo muito esmalte sintético à base de água e nunca tive problemas .
Enfim , existe uma vasta gama de produtos ,mas é necessário obter algumas informações antes de utilizá-los ,para não se perder tempo e dinheiro.

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Mini fogão .



Este mini fogão a lenha ,servia como peça promocional ,e era colocado em balcões de lojas especializadas ,para que as pessoas vissem como era o fogão verdadeiro .Isso ,no começo do século 20 , antes do uso do gaz de botijão . Essa peça é de um amigo que coleciona antiguidades ,e o encontrou jogado numa caçamba de rua .

Estava bem estragado ,com suas laterais comida pela ferrugem .

Havia ferrugem por todos os lados e dava desânimo só de olhar .

Foi necessário retirar partes estragadas e adicionar novas chapas de folha de flandres ,para que sua estrutura voltasse ao que era antes .

Depois de tudo refeito , a chapa foi lixada e foi aplicado um oxidante ,para que enferrujasse um pouco ,pois o cliente não a queria com aspecto de nova

Após a oxidação da chapa ,foi construída uma nova chaminé , com uma lâmina de cobre ,e colocada no local da saída de fumaça .

Com chaminé pronta e pintura feita , o fogãozinho recuperou sua identidade .

A pintura foi feita inclusive por dentro , e as partes cromadas foram recuperadas.

Agora pronto ,foi enfeitar a cozinha do meu amigo .Detalhe importante , ele funciona de verdade . Fiz o teste e deu certo.

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Máquina antiga sem marca.


Não consegui descobrir a marca desta máquina, mas provavelmente ,deve ser uma Clemens Muller do final do século 19 .Nota-se a falta de pedaços do enchedor da bobina

Sua proprietária a comprou num depósito de ferro velho ,e pagou super barato ,mas a máquina estava neste estado deplorável .Esse tom esverdeado é por culpa do flash do meu celular ,mas mostra mais ainda o estado da peça.

A maçaneta estava solta ,mas ainda inteira . Precisei apenas lixar e envernizar .


Aqui ,ela toda desmontada , fora da caixa . A caixa estava muito suja ,mas também estava completa . Só precisei limpar, lixar e envernizar .

Aqui o volante com a manivela já colocada . A máquina adquiriu um novo aspecto com a caixa já restaurada .

Neste espaço faltam as peças do enchedor da bobina ,mas teve de ficar assim ,pois é quase impossível encontrar peças faltantes para esse tipo de máquina .

Prontinha para decorar a sala da minha cliente .

domingo, 21 de junho de 2015

Mesa entalhada renovada.

Esta mesa toda entalhada ,foi comprada por um cliente numa loja de antiguidades no centro de São Paulo .Estava bastante desgastada pelo tempo e pelo uso,mas sua estrutura estava em boas condições ,embora fosse necessário restaurar algumas partes .

Os pés,principalmente este mostrado na foto, estavam bastante danificados .

As portas estavam meio caídas, com suas dobradiças soltas e com alguns riscos na superfície .As fechaduras não funcionavam mais .

Com um pouco de massa F12 para madeira , e muita paciência, foi possível deixar os pés como eram originalmente .

As dobradiças das portas foram restauradas ,e as fechaduras foram consertadas por um chaveiro especializado em peças antigas. Os puxadores foram lixados e polidos . Foram aplicadas duas demãos de verniz automotivo para evitar que os puxadores oxidassem novamente .

Toda a madeira foi escurecida com tingidor Veladura , para se obter uniformidade no aspecto da peça . Agora a mesa se encontra no escritório de advocacia deste cliente .

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Singer/Ferrari


Esta postagem não tem o antes e o depois ,porque o que quis mostrar foi exatamente o depois .Vejam como ficou esta máquina com os pés pintados de vermelho .O contraste com a cor da madeira ficou muito agradável na minha opinião .

Ela pertence a um cliente italiano ,que é um ferrarista apaixonado ,e pediu para pintar os pés com o tom vermelho da Ferrari. A foto não mostra bem o tom escolhido,mas ao vivo ficou ótimo.

O melhor de tudo isso é que esta máquina será dada de presente para sua filha, que vai nascer em Julho próximo .Ela começará sua vida já tendo uma antiguidade nas mãos .

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Cachimbos antigos renovados .


Estes cachimbos pertencem a um amigo do meu filho mais novo. Ele os ganhou de seu avô ,mas não estava usando,pois os mesmos estavam quebrados . Meu filho sugeriu que eu poderia consertá-los e os trouxe para a oficina

Como dá para ver nessas fotos, estavam bem estragados mesmo.Um tinha a piteira quebrada ,o que não permitia restauro. Outro estava com a camara de condensação partida .E todas as piteiras estavam em más condiçoes de uso.

Este acabou de se quebrar quando comecei a limpá-lo ,restando apenas o fornilho, e tive de jogar fora

Limpei e polí as piteiras ,e numa delas tive de refazer a parte que vai à boca.Encurtei a camara de condensação de um deles e encerei o "corpo" de todos após a higienização .A piteira do que estava com o "corpo" quebrado serviu naquele cuja piteira estava destruida .

E assim , de quatro cachimbos fiz três ,mas todos em condições de fumar .